Gerencie seu chefe PDF Imprimir E-mail
Sex, 18 de Março de 2016 14:33

GERENCIE SEU CHEFE

 

Veja 22 situações críticas na relação com seu superior e 37 nameiras de dar as cartas nesse jogo

 

Relacionamentos profissionais complicados são a terceira causa de demissão de executivos e es­tão na frente até mesmo do mau desempenho quando chega a hora de de­terminar quem vai ficar fora do jogo. Foi essa a conclusão de um estudo da DBM, consultoria especializada em recolocação, com escritório em São Paulo, que ouviu 420 executivos brasileiros entre abril de 2006 e abril deste ano. No levantamento, a má interação entre as pessoas só perde para fatores externos — e, portanto, de difícil controle —, como reestruturações, fusões e aquisições. "E, pensar que, muitas vezes, essa falta de 'química' entre chefe e subordinado pode­ria ser contornada", diz Marcelo Cardoso, presidente da DBM.

 

Os 123.445 profissionais que responde­ram a pesquisa em que se baseou a edição 2007 do Guia VOCÊ S/A-EXAME – As Melhores Empresas para Você Trabalhar também têm seus senões em relação a liderança. "Meu chefe não me ajuda a decidir sobre qual caminho seguir na carreira, não me apóia e não ouve minhas sugestões." Essas foram algumas das queixas apontadas por eles. Reclamações que, no fundo, passam pelas dificuldades de convivência. Situações que não só deixam o dia-a-dia mais difícil, como também podem atrasar a carreira. Afinal, o chefe é o principal fator de engajamento com a companhia. "Este ano, cruzamos dados de nossas pesquisas mundiais com informa­ções de clientes e descobrimos que sete em cada dez pessoas pedem demissão por não se dar bem com o superior", diz Gustavo Oli­veira, vice-presidente do Gallup Consultin instituição americana de pesquisa e consultoria com escritório em São Paulo.

 

Por essas e por outras, é muito proceden­te o conselho da consultora americana de carreira Cynthia Shapiro, que escreve para o jornal The Wall Street Journal e para a revista Fortune, entre outras publicações: "Encare
seu chefe como o cliente mais importante e, em alguns casos, o mais difícil também".


Em vez de ficar bancando a vítima, tente fazer diferente. Nas próximas páginas, você vai encontrar 22 situações críticas dessa relação e 37 maneiras de lidar com elas. Se o chefe não sabe nem quer saber do impacto que tem na sua vida, a melhor saída é gerenciar o conflito e liderar para cima, duas competências fundamentais para conseguir sucesso na carreira. "Isso significa ter atitudes que influenciem positivamente o chefe", diz Marcelo Cardoso, da DBM.

 

1- Pedir um aumento

 

Olhe além do seu umbigo

 

Pesquise no mercado para saber se seu salário está de­fasado. "Um profissional que gere a própria carreira deve ser capaz de enxergar o contex­to", diz a professora Tânia Casado, da Facul­dade de Economia, Administração e Conta­bilidade (FEA-USP) e da Fundação Instituto de Administrarão (FIA). Também é preciso ver a situação da empresa — às vezes não é possível fazer alterações de salário.

 

... e para ele também.

 

Não faça compara­ções. "Fale sobre suas últimas realizações, seu compromisso com os objetivos de longo prazo da empresa e seu alinhamento com os valores da companhia", sugere Luiz Ernesto Gemignani, presidente da Promon, empresa paulistana de soluções de infra-estrutura.

 

Pense no que há por trás disso.

 

"Em 16 anos de Unilever, nunca pedi um aumento de salário", diz Marcelo Williams, vice-presidente de RH no Brasil. A preocupação dele sem­pre foi trabalhar bem e entregar mais do que o chefe pedia. A melhora no contracheque veio naturalmente, com as promoções.

 

2- Ser promovido

 

Não fale em dinheiro.

 

Mais vale mostrar que você está pronto para encarar mais desa­fios do que entrar no assunto "dinheiro". "Ex­ponha seus motivos e pergunte para o chefe: 'E então, quais são seus planos para rnim?"', diz Marcelo. Assim, você fica sabendo se o que imagina para a sua carreira está alinhado com a proposta da companhia. Obviamente, para ter uma conversa dessas você precisa es­tar seguro dos seus resultados.

 

3- Negociar as férias

 

Se a situação estiver complicada, adie.

 

Caso a sua área esteja a mil por hora, deixe seus planos para depois. Quando achar que é possível sair, faça uma sondagem com o chefe. "Diga que você já tem férias vencidas e que gostaria de tirar uns dias para voltar com força total para tocar aquele projeto", diz José Augusto Minarelli, da Lens&Minarelli, consultoria especializada em recolocação.

 

4- Ter flexibilidade no horário de trabalho

 

Diga que vantagem a empresa leva.

 

"Se você quer ter um horário mais flexível para fazer um curso, por exemplo, deve dar a contrapartida, mostrando para o chefe co­mo isso pode melhorar seu trabalho e quais benefícios essa mudança pode trazer para a organização" diz Gerson Correia, sócio-diretor daTalent Solution, consultoria de recru­tamento e seleção.

 

5- Tirar uma fase sabática

 

Não espere apoio financeiro.

 

"Acho cara de-pau um profissional pedir licença remunerada ou querer que a empresa pague o curso que ele deseja fazer durante esse período. Isso tem que partir do chefe", diz Gerson. Se a companhia tiver essa cultura e se você for visto como um bom funcioná­rio, a proposta virá, com certeza. Segundo Gerson, caso a licença não seja aprovada, é preciso pensar se o seu projeto é tão impor­tante a ponto de valer a pena sacrificar seu emprego por ele.

 

6- Conseguir mais prazo

 

Coloque a boca no trombone.

 

Nesse caso, muito pior que dizer "não vai dar tem­po" é dizer "não deu tempo". "Da próxima vez, não tem desculpa, planeje-se melhor, identificando os gargalos, os pontos onde as coisas costumam emperrar", diz Milton Pereira, diretor de desenvolvimento humano e organizacional da Serasa, empresa especia­lizada em pesquisas, informações e análises econômico-financeiras.

 

7- Ganhar um projeto

 

Não seja muito assertivo.

 

No caso, fale al­go como "gostaria muito de fazer esse traba­lho porque...". "E enumere também as competências que você tem para conseguir seu objetivo", diz Gerson, da Talent Solution.

 

Esvazie sua mesa antes.

 

"Tem gente que tem uma porção de trabalhos por fazer e ainda assim acha que está em condições de pedir mais um projeto", diz Rugenia Pomi, diretora executiva do instituto de pesquisa Sextante Brasil e da consultoria Gênesis Desenvolvimento e Potencialização Humana, em São Paulo. Para ela, é mais profissional terminar o que você está tocando antes de se oferecer para assumir mais um projeto.

 

8- Como dizer "não" para o chefe

 

Não se afobe.

 

Antes de recusar um pedido da chefia, analise a situação. No fundo, um pedido do chefe é uma ordem. "Reorganize sua agenda para tentar dar conta dessa de­manda", diz Gerson, da Talent Solution.

 

Diga por que não será possível atender ao pedido.

 

"Seja objetivo e apresente uma boa justificativa para a sua recusa", diz Waldir Eschberger Jr., presidente do Zambon Labo­ratórios. Vale perguntar se é possível resolver posteriormente o assunto em questão e, claro, se oferecer para fazer isso.

 

9- Você se sentiu injustiçado

 

Peça um feedback.

 

Em primeiro lugar, não comente o assunto com os colegas. "Seu sen­timento pode chegar aos ouvidos do chefe", diz Ricardo Rocco, um dos diretores da Russell Reynolds, consultoria de recrutamento de executivos com escritório em São Paulo. Esfrie a cabeça e diga ao seu superior como se sentiu em relação ao ocorrido. Se a promoção saiu para um colega, por exemplo, nem pense em se comparar a ele. Peça um feedback sobre o seu desempenho.

 

10- O chefe está estranho com você

 

Precipite o assunto.

 

Pergunte se a mu­dança de comportamento tem a ver com seu trabalho. Se tiver, ouça as razões dele sem se justificar e trabalhe para melhorar. Também é bom aprender a ler os sinais não-verbais antes de ficar cismado. "Muitas vezes, o che­fe pode estar mais calado que de costume, mas demonstra por atitudes que continua o mesmo de antes", diz Lúcia Costa, sócia-diretora da Mariaca/Lee Hecht Harrison, consultoria especializada no recrutamento de executivos, em São Paulo.

 

11- Você teve uma briga com o seu chefe

 

Peça desculpas.

 

No início da carreira, Luiz Eduardo Rubião, diretor-geral da Chemtech, consultoria carioca de projetos de engenha­ria e tecnologia, se indispôs com o chefe. "Se tivesse conversado com ele em seguida, não teria ficado com as piores turmas do cursinho", diz ele, que na época era professor. Para Luiz, é possível resolver a situação de um jeito maduro. "Mas, se você se excedeu, tem que pedir desculpas", diz.

 

Conte ate 20.

 

"Se você já sabe que seu chefe gosta de provocar, respire fundo quando for falar com ele", diz Gerson, da Talent Solution.

 

12- O superior sabe menos do que você

 

Pense no lado bom.

 

É cada vez mais co­mum dirigentes sem as mesmas qualifica­ções técnicas da equipe. Mas não é isso que está em discussão. Quando alguém assume uma posição de liderança, a orientação pas­sa a ser para as pessoas, não para a execução de tarefas. Segundo Robert Joss, professor da Graduate School of Business, da Univer­sidade Stanford, nos Estados Unidos, o líder tem que conseguir resultados por meio das pessoas — sua performance individual se baseia nisso. Para Ricardo Rocco, da Russell Reynolds, salvo algumas exceções, se ele es­tá onde está é porque tem qualidades im­portantes para a empresa. Portanto, comece a ver o que pode aprender com ele.

 

13- Quando você tem mais de um chefe

 

Crie um vinculo pessoal com cada um deles.

 

"Quando você conhece o estilo de cada um de seus chefes, tem mais condições de gerenciar as situações", diz Lúcia, da Mariaca/Lee Hecht Harrison. Uma boa maneira de fazer isso é observar as atitudes dele e ouvir o que as pessoas e o mercado costumam falar sobre ele. "Mas não aborde ninguém diretamente. Vai que seu superior fica sabendo de suas 'investigações' e ele é do tipo reservado?", diz Lúcia.

 

Veja os pontos em comum.

 

Alessandro Bonorino, diretor de RH da IBM Brasil, já che­gou a responder a três pessoas. "No começo, sempre ficava devendo alguma coisa para al­guém", diz. Até que um dia ele resolveu fazer uma planilha com as ordens que recebia de cada um e os pontos em comum entre elas. "Mostrei a planilha para meus chefes que, a partir daí, começaram a entender minha limitação para tantas demandas", diz. Alessandro afirma que outra dica é abrir a cabeça e apro­veitar a diversidade de visões que o fato de ter mais de uma chefia possibilita.

 

14- Em caso de ordens contraditórias

 

Coloque os responsáveis para conver­sar.

 

Se isso acontece quando você tem mais de um chefe, seu papel deve ser o de media­dor. "Faça-os ajudar você a entender o que é prioritário", diz Lúcia Costa, da Mariaca/Lee Hecht Harrison.

 

Não fique no meio.

 

Fazer os chefes con­versarem também é a melhor saída quando seu quase ex-chefe e o futuro não chegam a um acordo sobre quando você começa no novo departamento. "Melhor não ser intermediá­rio"', diz José Augusto, da Lens&Minarelli.

 

Não aponte o problema.

 

Se a contradi­ção vem de um chefe só, a orientação mais importante é não assumir uma atitude acu­satória. Senão, a situação pode ficar ainda mais complicada. Melhor se sair com algo do tipo "estou meio confuso com as orientações que você me passou e gostaria de conversar novamente sobre elas". "Fazen­do dessa maneira, você dá a seu chefe uma chance de rever suas posições", diz José Au­gusto. Sem falar que fica mais simpático.

15- Seu chefe é virtual

 

Economize o tempo — e a paciência — dele.

 

"Acho que o fundamental é não ocupar o tempo do chefe com assuntos pouco importantes", diz Waldir, presidente do Zambon, que se reporta à gerente-geral da empresa, na Itália. Se for o caso de apresentar um problema, exponha também a solução que você pensou. Waldir hierarquiza os assuntos. "Acho importante separar os tópicos que devem ser compartilhados daqueles que você pode tocar sozinho", diz.

 

Não fale só de trabalho.

 

Tente estabele­cer um relacionamento mais pessoal com seu chefe. Por exemplo, quando for falar com ele por telefone, faça um aquecimento colocando na conversa algum comentário relativo à cultura do país em que ele vive. "Fica muito mais agradável do que entrar direto no assunto 'trabalho'", diz Lúcia Cos­ta, da Mariaca/Lee Hecht Harrison.

 

16- Tem chefe novo no pedaço

 

Coloque seu ego de molho.

 

Resista à ten­tação de mostrar que sabe mais do que ele. "Você deve ajudá-lo a se adaptar", diz Rugenia Pomi. Portanto, coloque-se à disposição e pergunte o que ele quer que você faça, se precisa de alguma informação etc.

 

Chega de saudade.

 

"Não faça compara­ções nem se mostre saudosista", diz Lúcia Costa. É melhor ouvir mais para construir um bom relacionamento com essa pessoa.

 

17- Você cometeu um erro

 

Não espere o superior descobrir.

 

Antecipe-se e admita que errou. "Não fique se justificando e, se possível, diga também co­mo acha que a situação deve ser resolvida", diz Gerson, da Talent Solution.

 

18- Seu superior é desorganizado

 

Não entre em embates.

 

Você é um poço de organização e seu chefe é o oposto? Co­labore com ele. "Que tal mostrar o modelo que você preparou para o relatório mensal de resultados?", diz Rugenia Pomi.

 

Guarde sua organização para você.

 

Vamos supor que você e seu chefe tenham uma reunião. Para não se perder, estruture seu raciocínio. "Assim, mesmo que ele dê mil voltas, você tem a noção exata do come­ço, meio e fim da conversa", diz Gerson.

 

Aproveite a brecha.

 

"Meu primeiro chefe era uma pessoa brilhante, mas caótico", diz Luiz Eduardo, diretor-geral da Chemtech. O que ele fez? Focou no lado genial do supe­rior e aproveitou as brechas que ele deixava por causa de sua falta de organização. "Cer­ta vez, toquei sozinho uma reunião, porque ele havia se esquecido do horário", diz.

 

19- Falta química entre você e o líder

 

Crie empatia.

 

Melhor abrir o jogo e citar as situações em que você se sentiu desconfor­tável. "Já vivi isso uma vez. Na época, expus minhas razões e ouvi as do meu chefe", diz Milton Pereira, da Serasa. Só assim conse­guiram se colocar no lugar um do outro. "Pode até não existir simpatia, mas você cria empatia", diz. Esse também é um ótimo exercício para evitar que você se transforme naquele tipo de funcionário que só entra na sala do chefe para falar o que deu errado, achando que ele tem a solução para tudo.

 

20- O chefe é seu amigo

 

Separe as coisas.

 

Para Erli Rodrigues, diretor-geral da American Airlines para o Brasil, o negócio é não misturar trabalho e amizade. "Separando bem isso, a parte pessoal pode até ajudar, porque deixa a convivência mais agradável", diz.

 

21- Você tem cinco minutos para vender sua idéia

 

Faça a lição de casa.

 

Nem pense em im­provisar. É preciso fazer uma exposição bem feita de suas ideias e basear seus argumen­tos em números. "E estar pronto para res­ponder a qualquer pergunta do chefe sobre o assunto", diz Erli. Se não souber a respos­ta, diga que vai pesquisar. Só não faça cara de quem nunca ouviu falar do assunto, para não colocar tudo a perder.

 

Comece pelo fim.

 

Luiz Ernesto Gemigna-ni, da Promon, diz que o melhor é começar falando sobre os resultados, os benefícios e o significado (nesta ordem) que aquela ideia tem para a empresa e para as pessoas.

 

22- Seu superior é ansioso

 

Antecipe-se a ele.

 

Não espere que ele per­gunte, mantenha-o bem informado sobre o andamento do seu trabalho. "Com o tempo, é bem provável que ele se sinta mais relaxa­do e a situação melhore para o seu lado", diz Lúcia, da Mariaca/Lee Hetch Harrison.

 

Não leve para o lado pessoal.

 

Ok, não é fácil lidar com um chefe ansioso. Mas tudo fica pior se você acreditar que as cobranças têm um cunho pessoal. "Lembre-se que ele age assim com todo mundo", diz Lúcia.

 

O que está por trás do cartão vermelho

 

• 54% reestruturacão/ fusão;

 

• 16% corte/redução;

 

• 10% relacionamento com o chefe;

 

• 8% alteração de perfil;

 

•4% fechamento/ mudança;

 

• 3% performance;

 

• 5% outros.

 

Onde está pegando

 

As cinco maiores críticas que os funcionários têm sobre seus chefes:

 

1- Não usa o mesmo peso e a mesma medida.

 

2- Não me apóia quando assumo riscos.

 

3- Não me ajuda a decidir o que devo fazer para aprender mais.

 

4- Não cumpre o que promete.

 

5- Não ouve minhas críticas e sugestões.

 

Afine seu discurso

 

Descubra como seu chefe capta as informações para conversar melhor com ele:

 

Se o seu chefe é do tipo sensação

 

• Preocupado com o aqui e agora.

 

• Tem um método de trabalho e prefere não pular etapas.

 

• Confia em fatos.

 

Para falar com ele:

 

• Mostre evidências, provas, detalhes e dê exemplos.

 

• Traga dados mensuráveis e quantitativos.

 

• Seja prático, realista.

 

• Apresente as informações, mostrando as etapas envolvidas.

 

Se o seu chefe é do tipo intuição

 

• Está de olho no futuro.

 

• Não tem um ritmo regular de trabalho.

 

• É ligado em pressentimentos.

 

Para falar com ele

 

• Apresente primeiro a ideia principal, o conceito global.

 

• Não forneça muitos detalhes — a menos que ele solicite.

 

• Fale sobre desafios, possibilidades e as diferenças que suas ideias irão trazer.

 

• Mantenha o foco nos aspectos que não são rotineiros.

 

Você tem medo de quê?

 

Homens

 

• 52% da China;

 

• 27% de Wall Street;

 

• 11% da minha mulher;

 

• 6% do meu chefe;

 

• 4% do meu computador;

 

Mulheres

• 46% da China;

 

• 35% de Wall Street;

 

• 7% do meu chefe;

 

• 7% do meu computador;

 

• 5% do meu marido.

 

Fonte: VOCÊ S/A – Novembro/2010 – Pág. 44 a 51.