Como pedir um aumento PDF Imprimir E-mail
Ter, 29 de Março de 2016 19:34

O mundo corporativo coloca em pólos opostos o empregado, acreditando-se injustiçado porque ganha menos que julga merecer e o empregador, convencido de que paga mais que deveria pela pro­dução gerada. Para vencer a batalha de conseguir um aumento salarial, informação e astúcia são os ingredientes básicos, aplicados conforme as dicas a seguir:

 

1. Faça uma auto-avaliação criteriosa

 

Aumentos de­vem ser obtidos por mérito antes mesmo de serem desejados. Por isso, acompanhe seus relatórios de avaliação, desempenho, competências e o feedback de seu supervisor e colegas de trabalho.

 

2. Pesquise o mercado

 

Analise a média salarial do seu cargo no mercado comparando-a com a média paga por sua empresa. Lembre-se de considerar o porte da companhia.

 

3. Conheça a política salarial de sua empresa 

 

Uma companhia com plano de cargos e salários bem estruturado apresenta regras para promoção, premiação e remuneração. Assim, pode haver critérios que considerem não apenas questões qualitativas, vincu­ladas a resultados, mas também ciclos cronológicos relacionados às faixas salariais.           

 

4. Estude o ambiente

 

Observe o desenvolvimento de seus colegas. Procure identificar um padrão de com­portamento que possa ter conduzido alguns profissio­nais a uma posição superior.

 

5. Prepare o terreno

 

Faça um levantamento de suas atividades, buscando mensurar os resultados alcança­dos. Elabore uma relação dos benefícios que você traz para a corporação e como pode potencializá-los.

 

6. Dê o bote

 

O melhor local: na própria empresa, em uma reunião a portas fechadas para minimizar o risco de interrupções. O momento certo: logo após a realização de um projeto bem-sucedido e em um dia em que o gestor esteja de bom humor. A abordagem recomendada: clareza e objetividade na exposição, porém sem denotar agressividade.

 

7. Quanto negociar

 

Não há uma regra. Primeiro, porque depende da política da empresa. Os dissídios coletivos anuais são da ordem de 5% a 7%. Já os aumentos vinculados a tempo de serviço ou mudança de função dentro do plano de cargos e salários giram em torno de 10%.

 

8. Esqueça os apelos emocionais

 

Separe a pessoa do problema. Justificativas de cunho emocional podem até funcionar uma primeira vez, mas o risco maior é de causar constrangimento e denunciar que você é um mau administrador de suas finanças. O foco deve estar em seu desempenho e o nome do jogo é meritocracia.

 

9. Esteja pronto para negociar

 

Evidentemente, sua proposta pode ser total ou parcialmente recusada. Nesse caso, negocie benefícios, objetivando ganhar mais no longo prazo com base em seu desenvolvimento pessoal. Assim, um curso de idiomas ou um MBA podem representar uma transferência de despesa pessoal que você teria e que será assumida pela empresa.

 

10. Mantenha a confiança  e  a  auto-estima

 

Uma postura determinada e segura compõe uma imagem adequada ao seu marketing pessoal. Além disso, calcule os riscos de sua iniciativa. Cuidado também com a opção de flertar com a oferta de trabalho de outra empresa. Poderá receber um "até logo" quando imaginava que a proposta seria coberta.

 

Você avaliou seu desempenho, estudou o mercado e sua companhia, planejou uma argumentação sólida e coerente para respaldar seu pedido de aumento
salarial e negociou. Se mesmo assim a empresa tem sucessivamente negado um reconhecimento efetivo pelo trabalho, é hora de considerar a possibilidade de mudar de emprego. Afinal, tapinha nas costas não paga contas. 

 

Fonte: VENDA MAIS – Novembro/2010 – Pág. 40.

Última atualização em Ter, 29 de Março de 2016 20:10