O lado bom de um chefe linha dura
5 de fevereiro de 2019
O executivo cordial
5 de fevereiro de 2019

Fazer boas perguntas e ouvir todas as respostas é um diferencial competitivo

Saber ouvir é hoje uma das competências mais exigidas no mundo executivo e faz uma enorme diferença no crescimento evoluti­vo de um profissional. Parece simples dito assim em tão poucas linhas. No entanto, você sabe mes­mo o que é isso quando está com alguém ou com sua equipe? Em primeiro lugar, é saber ouvir ativamente, demonstrando ao seu interlocutor o seu interesse por meio do olhar, da expressão cor­poral e das perguntas estimuladoras. Saber ouvir é fundamentalmente ter interesse pelas pes­soas e, mais ainda, ter respeito por suas ideias e opiniões. Quem sabe ouvir dessa maneira apren­de mais, entende mais, conhece mais.

Procure se lembrar da última conversa que te­ve. O que você realmente lembra dela? Essa síndrome moderna de que estamos todos perden­do a memória, atolados no excesso de informa­ções à nossa volta, é uma meia verdade. Muitas vezes você não se lembra porque não ouviu aten­tamente. A impressão é que algumas pessoas têm uma chave do tipo on/off que é desligada quan­do o assunto é complexo ou não desperta seu in­teresse. Mas o que é um assunto do seu interesse? E aí aparece outro sintoma dessa surdez exe­cutiva: egoísmo — ter a vida centrada no pró­prio umbigo. Muitos estão surdos por pura fal­ta de interesse nos outros.

E por que falar tanto, agora, de saber ouvir? Pri­meiro não é de agora! Os nossos parentes mais idosos já diziam: “Uma boca só para falar, mas dois ouvidos para ouvir melhor”. O que mudou hoje é o processo de aprendizado dentro das or­ganizações. Estruturas enxutas, equipes multifun­cionais, tempo escasso. O resultado é que os exe­cutivos acabam tendo que aprender no dia-a-dia. “On the job”, para usar um jargão conhecido. E, para aprender en­quanto trabalha, você precisa saber ouvir atentamente. Não é só capa­cidade de concentração, é disposi­ção de ouvir tudo que está sendo di­to. Ouvir com os dois ouvidos e sem achar que já entendeu, ou que já sa­be o que vai ser dito. Por favor, não ligue a tal chavinha que coloca o in­terlocutor em mute.

Gosto muito da expressão poéti­ca de ouvir com os olhos. Ela mos­tra claramente uma característica de quem ouve atentamente. É o famoso “olho no
olho”. Muito difícil conversar com quem desvia o olhar, ou olha sem ver, ou ainda olha para ci­ma ou por cima de você. Olhe nos olhos quan­do conversar e as palavras terão um sentido com­pleto. Finalmente, vale a pena lembrar que o mo­derno líder, neste mundo onde as situações iné­ditas superam as repetitivas, é aquele que sabe fazer as perguntas e ouvir todas as respostas pa­ra tomar a decisão coletiva. Portanto, ouça, ou­ça e ouça de forma inteligente! Viver é aprender um pouco a cada dia. Ouviu?

Fonte: VOCÊ S/A – Junho de 2007 – Pág. 54.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ADQUIRA